CORONAVÍRUS: O QUE VOCÊ PRECISA SABER

112 0

“Um novo Coronavírus chinês, primo do vírus da SARS, infectou centenas de pessoas desde o início do surto em Wuhan , na China, em dezembro. O cientista Leo Poon, virologista da Escola de Saúde Pública da Universidade de Hong Kong, que primeiro decodificou o vírus, acredita que esse teve origem em um animal e se espalhou para os seres humanos.

“O que sabemos é que causa pneumonia e, em seguida, não responde ao tratamento com antibióticos, o que não é surpreendente”, disse Poon.

Não está claro o quão mortal o Coronavírus de Wuhan será, mas as taxas de mortalidade atualmente são mais baixas que o MERS e o SARS. Os especialistas enfatizam que isso mudará à medida que o surto se desenvolver.A Organização Mundial da Saúde ofereceu orientação aos países sobre como eles podem se preparar para isso, incluindo como monitorar os doentes e como tratar os pacientes. Aqui está o que você deve saber sobre os Coronavírus.

O que é um Coronavírus?

O Coronavírus é um grupo de vírus que comum entre os animais. Em casos raros, ele é o que os cientistas chamam de zoonótico, o que significa que pode ser transmitido de animais para seres humanos, de acordo com os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças.

Sintomas de Coronavírus

O vírus pode deixar as pessoas doentes, geralmente com uma doença do trato respiratório superior de leve a moderada, semelhante a um resfriado comum. Os sintomas do Coronavírus incluem coriza, tosse, dor de garganta, possivelmente dor de cabeça e talvez febre, que pode durar alguns dias.

Para aqueles com um sistema imunológico enfraquecido, idosos e muito jovens, há uma chance do vírus causar uma doença do trato respiratório mais baixa e muito mais grave, como uma pneumonia ou bronquite.

Há alguns tipos de Coronavírus humanos que são conhecidos por serem mortais.

A síndrome respiratória do Oriente Médio, também conhecida como vírus MERS, foi relatada pela primeira vez no Oriente Médio em 2012 e também causa problemas respiratórios, mas esses sintomas são muito mais graves. Três a quatro em cada 10 pacientes infectados com MERS morreram, de acordo com o CDC.

A síndrome respiratória aguda grave, também conhecida como SARS, é o outro Coronavírus que pode causar sintomas mais graves. Identificado pela primeira vez na província de Guangdong, no sul da China, de acordo com a OMS, causa problemas respiratórios, mas também pode causar diarreia, fadiga, falta de ar, dificuldade respiratória e insuficiência renal. Dependendo da idade do paciente, a taxa de mortalidade por SARS variou de 0 a 50% dos casos, sendo os idosos os mais vulneráveis.

Atualmente, acredita-se que o Coronavírus de Wuhan seja mais leve que o SARS e o MERS e leva mais tempo para desenvolver sintomas. Até hoje, os pacientes têm uma experiência de tosse leve por uma semana, seguida de falta de ar, levando-os a visitar o hospital, explica Peter Horby, professor de doenças infecciosas emergentes e saúde global da Universidade de Oxford. Até o momento, cerca de 15% a 20% dos casos se tornaram graves, exigindo, por exemplo, ventilação no hospital.

Como se espalha

Os vírus podem se espalhar pelo contato humano com os animais. Os cientistas acham que o MERS começou em camelos, de acordo com a OMS. Com a SARS, os cientistas suspeitavam que os gatos civetas eram os culpados. As autoridades ainda não sabem qual animal pode ter causado o atual surto em Wuhan.

Quando se trata da transmissão de vírus de humano para humano, geralmente acontece quando alguém entra em contato com as secreções de uma pessoa infectada, como gotículas na tosse.

Dependendo da virulência do vírus, tosse, espirro ou aperto de mão podem causar exposição. O vírus também pode ser transmitido ao tocar em algo que uma pessoa infectada tocou e depois em sua boca, nariz ou olhos. Às vezes, os profissionais da saúde podem ser expostos manipulando os resíduos de um paciente, de acordo com o CDC.

A transmissão de humano para humano foi confirmada para o Coronavírus Wuhan, mas agora os especialistas estão tentando entender quem está transmitindo mais, quem está em maior risco e se a transmissão está ocorrendo principalmente em hospitais ou na comunidade. O SARS e o MERS foram amplamente transmitidos dentro de hospitais, disse Horby.

Quem é afetado?

MERS, SARS e o Coronavírus de Wuhan parecem causar doenças mais graves em idosos, embora a incerteza permaneça em torno do último surto. Dos casos de Coronavírus de Wuhan relatados até o momento, nenhum ainda está confirmado entre crianças, disse Horby. A idade média é de 40 anos ou mais, disse ele.

Tratamento do Coronavírus

Não há tratamento específico, mas a pesquisa está em andamento. Na maioria das vezes, os sintomas desaparecem por conta própria e os especialistas aconselham a procurar atendimento precocemente. Se os sintomas forem piores que um resfriado comum, consulte seu médico.

Os médicos podem aliviar os sintomas prescrevendo um medicamento para dor ou febre. O CDC diz que um umidificador de ambiente ou um banho quente pode ajudar com dor de garganta ou tosse.

A recomendação é para beber bastante líquido e ficar em repouso.

Você deve se preocupar com o coronavírus Wuhan?

A taxa de mortalidade por Coronavírus de Wuhan é menor que a SARS e MERS, mas ainda comparável à pandemia de gripe espanhola de 1918, explica Neil Ferguson, professor de biologia matemática do Imperial College London.

“É uma preocupação significativa, globalmente”, diz Ferguson, já que ainda não entendemos completamente a gravidade.

Ferguson acredita que a taxa de mortalidade provavelmente será mais baixa devido a um “iceberg” de casos mais leves que ainda não encontramos, mas ele destaca que novos vírus se espalham muito mais rapidamente pela população.

Como você pode evitá-lo?

Não há vacina para proteger contra essa família de vírus, pelo menos ainda não. Ensaios para uma vacina MERS estão em andamento. Os Institutos Nacionais de Saúde dos EUA estão trabalhando em uma vacina contra o novo vírus, mas levará meses para que os ensaios clínicos sejam iniciados e mais de um ano até que ele se torne disponível.

Você pode reduzir o risco de infecção, evitando pessoas doentes. Tente evitar tocar nos olhos, nariz e boca. Lave as mãos frequentemente com água e sabão e por pelo menos 20 segundos.

Consciência é a chave. Se você estiver doente e tiver motivos para acreditar que pode ser o Coronavírus Wuhan devido a viajar para a região ou entrar em contato com alguém que já esteve lá, informe um médico e procure tratamento precoce.

Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar e desinfete os objetos e as superfícies em que for tocar.

Se estiver viajando para a China, esteja ciente dos sintomas e evite os mercados de animais vivos, onde foi iniciado o último surto em Wuhan.

Coronavírus e gravidez

Nas mulheres grávidas, as versões mais graves dos Coronavírus MERS e SARS podem ser graves.

As doenças associadas à SARS foram associadas a casos de aborto espontâneo, morte materna e doença materna crítica, segundo um estudo de 2004.

Coronavírus, gatos, cães e outros animais

Animais de estimação podem pegar Coronavírus e as infecções podem se tornar graves. Às vezes, os vírus podem levar a doenças mortais. Pode-se causar Peritonite Infecciosa Felina em gatos e algo chamado Coronavírus Canino Pantrópico pode infectar cães e gatos, de acordo com um estudo de 2011.

Gatos podem pegar SARS, mas nenhum dos gatos infectados desenvolveu sintomas, de acordo com o estudo. O Coronavírus felino geralmente é assintomático, mas pode causar diarréia leve. A peritonite infecciosa felina, ou FIP, pode causar sintomas semelhantes aos da gripe em um gato, mas também pode ser mais grave para gatos e causar falência de órgãos, mas não é contagiosa e não se espalha de animal para animal ou de pessoa para pessoa.

O Coronavírus Canino Pantrópico que pode afetar gatos e cães pode ser fatal para os cães, mostram estudos.

Esses vírus específicos de cães e gatos não parecem se espalhar para os seres humanos.”

Fonte: CNN Health

“O Coronavírus é uma cepa nova de origem animal da mesma família da SARS proveniente da Índia, que tivemos em 2012.

Através de sua mutação passou a causar infecção em homens, na localidade de Wuhan na China.

O risco de disseminação dessa doença em outros países é baixo, só existe transição sustentada do vírus na China, apenas em algumas regiões próximas a cidade de Wuhan.

Há uma tentativa de bloqueio de transmissão na China, para diminuir o risco de expansão e disseminação.

O risco no Brasil é pequeno e nesse momento a recomendação é de diminuir o risco de infecções respiratórias; quem está doente, com tosse ou resfriado, evitar contato com outras pessoas, utilizar lenço de papel ao espirrar, fazer higiene frequente das mãos com álcool gel, e em momentos de surto, evitar aglomerações”, comenta o infectologista da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Dr. Alberto Chebabo. 

Você vai gostar

Título da publicação do blog

Posted by - 20 de novembro de 2018 0
O que é incluído em uma publicação de blog? Conteúdo útil específico do setor que: 1) oferece aos leitores um…